Aeroporto Internacional de Fortaleza – Pinto Martins

O terminal de passageiros do Aeroporto Internacional de Fortaleza é totalmente climatizado e dividido em quatro pisos. No subsolo, encontram-se o estacionamento de veículos com capacidade para mil vagas, os caixas eletrônicos e o ponto de ônibus urbano comum que serve regularmente ao aeroporto.

Pisos

No primeiro piso estão 31 balcões de check-in, as lojas das companhias aéreas, locadoras de automóveis, informações turísticas, Juizado de Menores, DAC, Balcão de Informações, desembarque de passageiros e o acesso aos dois postos de táxis.

No segundo piso estão os estabelecimentos comerciais, a praça de alimentação e as salas de embarque doméstico e internacional. No último andar, estão instalados uma choperia e o Mirante – de onde se descortina uma visão do pátio de manobras e da cidade de Fortaleza.

Pátio de manobras

O pátio de manobras tem 152.857 metros quadrados e permite acomodar simultaneamente 14 aeronaves em posições pré-estabelecidas.

Operam regularmente em Fortaleza as companhias aéreas Transportes Aéreos Cabo Verde, GOL, Ocean Air, TAF, TAM, Varig e TAP. O Aeroporto recebe com freqüência vôos fretados nacionais e internacionais.

Segundo os projetistas, o terminal de passageiros, inaugurado em 1998, terá uma vida útil de no mínimo 50 anos. O antigo terminal de passageiros, denominado Terminal de Aviação Geral, é hoje utilizado para aviação geral e pela Seção Contra Incêndio. Ao seu lado está a Torre de Controle.

Terminal de cargas

Atualmente, a INFRAERO realiza a construção do terminal de cargas do aeroporto. O novo terminal será edificado em uma área de aproximadamente oito mil metros quadrados, o que aumentará em dez vezes a capacidade de armazenamento e manuseio de cargas, de 500 toneladas para cinco mil toneladas ao ano.

Futuramente, o terminal de cargas deverá ser conectado à rodovia e à ferrovia, permitindo a intermodalidade do sistema.

Alto da Balança

O Aeroporto Internacional Pinto Martins teve suas origens na pista do Alto da Balança, construída na década de 30 e utilizada até o ano 2000 pelo Aeroclube de Fortaleza. Atualmente, ela serve exclusivamente às operações do grupamento CIOPAER.

Durante a II Guerra Mundial, a pista serviu de base de apoio às forças aliadas, época em que foi construída a segunda pista de pousos e decolagens, a atual pista principal do Aeroporto de Fortaleza.

Cidadão de Camocim

Em 13 de maio de 1952, o Aeroporto ganhou o nome de Pinto Martins, em homenagem ao cearense Euclydes Pinto Martins. No início da década de 20, este cidadão de Camocim realizou o primeiro vôo sobre o Oceano Atlântico, entre Nova York e o Rio de Janeiro, a bordo do hidroavião Sampaio Correia.

A INFRAERO assumiu a administração do Aeroporto de Fortaleza em 1974, quando deu início a uma série de obras para revitalização e ampliação do complexo aeroportuário, entre elas a do pátio e a do terminal de passageiros.

Por meio de uma parceria entre a empresa, o Governo Federal e o Governo Estadual, o aeroporto recebeu novo e moderno terminal de passageiros com 32 mil metros quadrados, inaugurado em fevereiro de 1998. O novo terminal tem capacidade para 2,5 mil passageiros ao ano e 14 posições para estacionamento de aeronaves, sendo dotado de modernos sistemas de automação predial.

Verão

O Aeroporto de Florianópolis se firmou, nas últimas temporadas de verão, como um dos principais destinos brasileiros de turistas domésticos e internacionais. Com capacidade para 980 mil de usuários por ano, recebeu, em 2006, 1,63 milhão de passageiros.

O atual terminal de passageiros ficou modesto para o crescimento de Florianópolis. Por isso, em breve, a cidade ganhará  novo aeroporto, com capacidade para receber 2,7 milhões de passageiros por ano.

Concurso

O projeto arquitetônico do novo aeroporto foi escolhido por meio de concurso público realizado pela INFRAERO em parceria com o Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB). Esta foi a primeira vez que a INFRAERO realizou um concurso público para escolher um projeto arquitetônico para a construção de um novo terminal aeroportuário.

Normalmente, os projetos para ampliação e modernização dos 67 aeroportos administrados pela empresa são realizados por licitação a partir de um programa de necessidades, critérios e condicionantes apresentado pela área de engenharia da empresa.

O projeto do arquiteto paulista Mário Bizelli foi o escolhido entre os mais de 150 inscritos. Aberto em março de 2004, o concurso público teve 150 inscritos e 71 projetos apresentados. Destes, três foram selecionados como finalistas. Os projetos dos arquitetos Marcelo Consiglio Barbosa e Sérgio Parada foram classificados em segundo e terceiro lugar, respectivamente.

Em 2006, foi entregue à INFRAERO a LAP – Licença Ambiental Prévia, das obras do novo Aeroporto Internacional Hercílio Luz, para dar início ao processo de licitação.


Associadas da ANCAB neste Aeroporto: