Aeroporto Internacional de Guarulhos – Governador André Franco Montoro

A construção do Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos foi idealizada na década de 1970. Estudos de engenharia produzidos por empresas nacionais e estrangeiras, aliados a razões de ordem estratégica, indicavam a conveniência de aliar os interesses da aviação comercial e da aviação militar. Daí, a decisão de construir o aeroporto compartilhado com a Base Aérea de São Paulo.

Construída no início da década de 1940, a Base Aérea de São Paulo foi criada em 1941. Sua finalidade era defender todo o estado de São Paulo, o maior centro industrial do País, no período em que o mundo estava abalado pela Segunda Guerra Mundial.

Doação

Em 1940, as famílias Samuel Ribeiro e Guinle doaram para o governo uma grande área da Fazenda Cumbica para a construção da Base Aérea de São Paulo.

Dois critérios básicos foram considerados pelas famílias para concluir a doação de toda essa área: a doação só poderia ser efetivada para a construção de uma Base Aérea Militar, e esta unidade deveria receber o nome de Base Aérea de São Paulo. A condição foi amplamente aceita pelo governo brasileiro.

Em 1977, após diversas negociações, decidiu-se que o melhor lugar para a construção do Aeroporto Internacional era Cumbica. A partir daí, diferentes medidas foram tomadas pelo governo do Estado de São Paulo, entre elas, a desapropriação de áreas para a instalação do aeroporto que seria compartilhado com a Base Aérea de São Paulo.

Obras

Em 1980, começaram as obras do novo sistema aeroportuário. Em 1985, concluída a primeira fase do projeto, foi inaugurado o Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos.

No dia 20/01/2007, o Aeroporto Internacional de São Paulo/ Guarulhos comemorou 22 anos de operações.

Ao longo desse período, os números consolidaram a importância deste complexo aeroportuário: 222,3 milhões de pessoas embarcaram e desembarcaram pelos terminais de passageiros, através de 2,9 milhões de operações de pousos e decolagens que transportaram cerca de 6,9 milhões de toneladas de cargas.

Modernização

Para atender essa demanda de passageiros e de cargas, a INFRAERO, empresa que administra o aeroporto desde sua inauguração, em 20/01/1985, planeja todos os processos de modernização e ampliação da sua infraestrutura.

Atualmente, o Aeroporto de Guarulhos opera com dois terminais com capacidade para movimentar 17 milhões de passageiros/ano. São 44 empresas aéreas nacionais e internacionais, regulares, cargueiras e charters que utilizam 260 balcões de check-in.

Mais de 40 diferentes modelos de aeronaves utilizam as duas pistas do aeroporto, uma com 3.700 metros e outra com 3.000 metros de extensão, que recebem, em média diária, 475 operações de pouso e decolagem .

De Guarulhos partem e chegam vôos procedentes e com destino a 26 países e 117 cidades nacionais e estrangeiras. A rede comercial dos terminais de passageiros é formada por 177 pontos comerciais.

Desenvolvimento

No setor de carga aérea internacional, a INFRAERO dispõe do maior terminal de logística da América do Sul, com área de 93.216 metros quadrados, contando com serviços de recepção, despaletização, unitização, movimentação e armazenagem de mercadorias oriundas dos setores de importação e exportação.

O aeroporto não pára de crescer e consolida-se como um importante polo indutor de desenvolvimento socioeconômico e cultural. Um bom exemplo disso é o crescimento do setor hoteleiro na cidade de Guarulhos, que reúne atualmente 19 hotéis, totalizando mais de 2,7 mil apartamentos.

No planejamento de ampliação do aeroporto consta a construção do terceiro terminal, que ampliará a capacidade de atendimento do aeroporto de 17 para 29 milhões de passageiros/ano.


Associadas da ANCAB neste Aeroporto: