Aeroporto Internacional de Maceió – Zumbi dos Palmares

O Decreto nº 70.319, de 23 de março de 1972, criou a Comissão Coordenadora do Projeto Aeroporto Internacional de Manaus/CCPAIM), incumbida de coordenar todos os trabalhos relativos ao projeto e à construção do Aeroporto de Manaus.

Avaliação

Para a instalação de um complexo aeroportuário em Manaus, foi realizada uma avaliação econômica das diversas alternativas de localização do aeroporto, que abrangeu não só os custos de construção, mas também os de operação, inclusive os custos de transporte terrestre dos passageiros entre a cidade e o aeroporto. Foi então escolhida a área localizada nas vizinhanças do igarapé Tarumã-Açú.

Em 1º de novembro de 1972, pelo Decreto nº 2399, o Governo do Estado do Amazonas formalizou a doação à União de uma área de 8.025.618.3025 metros quadrados de terras devolutas do patrimônio estadual, para que nela fosse construído o aeroporto.

Em 31 de março de 1976, foi homologado e aberto o tráfego do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes. A Superintendência Regional do Noroeste administra diretamente o Aeroporto Internacional Eduardo Gomes e indiretamente os aeroportos internacionais de Tabatinga (AM), Rio Branco (AC), Cruzeiro do Sul (AC), Boa Vista (RR), Porto Velho (RO) e o aeroporto de Tefé (AM).

Melhorias

Ao longo de sua existência, o Aeroporto Internacional Eduardo Gomes recebeu obras que propiciaram mudanças e melhorias em suas instalações.

Foram realizados recapeamento da pista, alargamento do pátio de estacionamento de aeronaves do Terminal de Passageiros I, recuperação do pátio do Terminal de Carga e da via de acesso para os Carros Contra Incêndio – CCI’s, cobertura do terraço panorâmico, construção da passarela que liga o Terminal ao estacionamento, ampliação e modernização do Terminal de Passageiros II e a modernização e climatização do saguão do Terminal de passageiros I, obra entregue em dezembro de 2000.

Em cumprimento ao Programa de Qualidade iniciado pela INFRAERO em 1996, o Aeroporto Internacional Eduardo Gomes foi o primeiro aeroporto da rede INFRAERO a ser certificado na Norma ISO 9001/94 (International Organization for Standardization), organização Internacional para Normatização.

Pequena cidade

O Aeroporto Internacional Eduardo Gomes equivale a uma pequena cidade em pleno desenvolvimento. Responsável pelo emprego de aproximadamente 4 mil pessoas, entre funcionários da INFRAERO, órgãos públicos, concessionários, empresas aéreas e de serviços auxiliares, oferece uma moderna infraestrutura aeroportuária.

O aeroporto possui dois terminais de passageiros. Um para atender aeronaves de maior porte, que operam vôos domésticos e internacionais, e outro para receber aviões de menor porte, utilizados em vôos regionais. Além dessa estrutura, o complexo aeroportuário dispõe de três terminais de carga: o Terminal I inaugurado em 1976, o Terminal II em 1980 e o Terminal de Cargas III em 2004.

O Terminal de Passageiros I tem seis pontes de embarque/desembarques, sendo cinco fixas e uma móvel, três salas de desembarque doméstico e uma sala de desembarque internacional, seis salas de pré-embarque doméstico e duas salas de pré-embarque internacional, cerca de 50 balcões de check-in, estacionamento para aproximadamente 700 veículos e guaritas de segurança espalhadas em todo o complexo aeroportuário.

Saguão

No saguão, o aeroporto oferece uma diversidade de serviços e produtos. Entre eles serviços bancários, oferecidos pelos postos dos bancos do Brasil e Real, além dos caixas eletrônicos dos bancos do Brasil, Itaú, Bradesco, da Amazônia, HSBC e Real. Também dispõe de lojas de artesanatos, bebidas importadas, drogaria, bomboniere, confecções, perfumaria, chocolataria, lanchonetes, cafeteria, locadoras de veículos, casa de câmbio, fraldário, lojas de turismo, operador de pesca esportiva, tabacaria, sorveteria e táxis. Em seu terraço panorâmico, o aeroporto oferece serviços de choperia e restaurante.

O Aeroporto Internacional Eduardo Gomes é o terceiro em movimentação de cargas do Brasil, por onde passa a demanda de importação e exportação do Pólo Industrial de Manaus. Por isso, a INFRAERO investiu na construção do terceiro terminal de cargas do aeroporto, inaugurado no dia 14 de dezembro de 2004.


Associadas da ANCAB neste Aeroporto: